Arte Pura, por E.T.

 

O objectivo da arte é superar a Natureza.

Os bons artistas expressam nas suas obras o que o mundo sabe, mas não diz. Os grandes artistas expressam nas suas obras o que o mundo ainda não sabe.

Não creio que a função da arte seja reproduzir um limão, um nenúfar ou uma mulher nua. A fotografia ou o cinema podem fazê-lo muito melhor e com som Dolby. A arte tem que reproduzir ou reflectir outro tipo de natureza: a humana.

A minha definição pessoal de arte: Arte é a habilidade de tocar as cordas emocionais do “instrumento humano” de uma forma original e significativa. “Original” significa nunca antes visto. “Significativa”, significa que se relaciona com e interessa ao ser humano.

O verdadeiro artista é aquele que consegue tocar as cordas emocionais do “instrumento humano” como nunca antes se fez, com uma nova melodia. O génio é aquele que consegue acrescentar uma nova corda emocional ao “instrumento humano”.

Não há muito a dizer sobre arte, porque a arte (com excepção da literatura) trata do que não se pode expresar por palavras.

A arte deve ser olhada, ouvida, sentida e finalmente, compreendida.

A arte é um meio de comunicação entre o humano e o divino. Se consideramos que a criação do Universo é divina, a criação humana é a continuação dessa criação primordial. Portanto, o facto do homem também poder criar é a melhor prova da sua essência divina.

Um artista-pintor deve sentir-se como um pincel nas mãos de Deus. Um artista-músico deve sentir-se como uma harpa. Um artista-escritor, como uma pluma.

Todo o artista verdadeiro sabe que ele mesmo não é o autor da sua obra, mas apenas o intérprete de Deus.

Por exemplo, Deus não pode fazer um limão sem primeiro fazer o limoeiro, e também não pode fazer um quadro sem primeiro fazer o pintor, ou qualquer outra obra humana, sem fazer primeiro o ser humano.

As nossas experiências empíricas dizem-nos que nada existe sem primeiro ser imaginado. Os humanos podem fazer mais coisas do que os animais, porque as podem imaginar.

É um facto que tudo o que é realizado pelo homem vem da imaginação. Portanto, é razoável pensar que a realidade também veio da imaginação. A imaginação de Deus transformou-se em Universo. Transformou-se em nós.

Quando nascemos, começamos a identificar objectos e seres.  Mais tarde, começamos a identificar pensamentos. A arte permite-nos começar a identificar o pensador.

A arte autêntica não é um hobby. A arte verdadeira é a que produz cultura, que rompe com o passado, que muda as mentalidades. Arte que não produz cultura é arte decorativa.

A arte que produz cultura é igual à ciência, no sentido em que não se pode inventar a roda ou o fogo duas vezes.

A arte também é igual à ciência, no sentido em que é um trabalho constante de investigação e de descoberta em “laboratório”. O artista experimenta os materiais, os sons, as formas, as texturas, as côres, os pensamentos, os sentimentos, para descobrir ou inventar novas maneiras de afectar as emoções humanas.

Produzir arte é um dom. A educação não pode ensiná-la, apenas compreendê-la.

A minha arte é “dizer a verdade”.  A verdade deve ser o elemento essencial do processo criativo.  Algo bastante raro nos tempos que correm.

 

Posted: March 31st, 2011
Comments: No Comments.